sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A farsa por trás da história de Aleijadinho


        Quem não se emociona ao ouvir a história de Manuel Francisco Lisboa, o Aleijadinho, que teria vivido entre 1730 e 1814, em Minas Gerais, e que, já deformado pela lepra, esculpia suas obras com o martelo e a talhadeira amarrados ao toco dos braços.
        Pois é, mas tem um enorme buraco nessa biografia e o gênio do barroco mineiro pode sequer ter existido.
Em primeiro lugar, a história de Aleijadinho só veio a tona 44 anos depois de sua morte com a publicação de uma biografia que, suspeitam os historiadores, não passa dum livro de ficção.
        Segundo, o tal escultor, mesmo se desconsiderando suas limitações físicas para jornadas longas em cima de andaimes, simplesmente teria de ter vivido umas dez vidas para esculpir todas as obras que lhe são atribuídas. 
        Já em 1996, falando à Folha de São Paulo pesquisador paulista Dalton Sala afirmou que Aleijadinho foi uma invenção do governo Getúlio Vargas. Para ele o mestre é um mito criado para a construção da identidade nacional, um protótipo do brasileiro típico: "mestiço, torturado, doente, angustiado, capaz de superar as deficiências por meio da criatividade".
         E disse também que nunca ficou provado textualmente que uma pessoa chamada Antônio Francisco Lisboa, conhecida como Aleijadinho, tivesse feito todas as obras que lhe foram atribuídas. Sala atribui a construção do mito Aleijadinho a uma necessidade política e ideológica da ditadura Vargas.
         Guiomar Grammont, autora do livro O Aleijadinho e o Aeroplano, vai no mesmo caminho. Afirma a hitoriadora que o artífice pode ter sido um mito inventado pela astúcia do Império, instrumentalizado pela ditadura do Estado Novo e saudado pelos primeiros modernistas, sobretudo por Mário de Andrade, que o descreveu como um herói miscigenado, gênio da raça, mulato genial que desafiou os padrões europeus e transgrediu as normas para criar uma arte autenticamente brasileira. 
         Eis aquí um abacaxi e tanto pros mineiros descascarem. Como continuar cultuando um herói das artes plásticas se Alejadinho tem tudo pra nunca ter existido.
         Parece que temos aqui um Roque Santeiro das Gerais, o personagem de Dias Gomes que foi mesmo sem nunca ter sido.

9 comentários:

  1. Pois é, essa esta pode ser mais uma estória, daquelas muitas que crescemos ouvindo, e pode ser que a verdade nunca venha à tona, porque quando se fala em identidade nacional o "Brasil" é mestre em enfeitar seu passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU QUERO SABER QUEM FEZ AS ESTÁTUAS? POR QUE O PERÍODO
      BARROCO E ROCOCÓ EXISTIU,QUERO SABER QUEM FEZ AS IMAGENS?
      SE ISSO FOR REALMENTE MENTIRA QUE ESTE HOMEM NÃO EXISTIU
      EU VOU FICAR TRISTE PORQUE ADORO OBRAS DE ARTES SACRAS,
      SEJA ELA MESTIÇA OU NÃO.

      Excluir
  2. Muito interessante essa especulação! Será que certos mistérios encontram voz na Teoria da Conspiração, ou a Teoria da Conspiração é que forja certos mistérios? Vale investigar. De qualquer forma, as anomalias que incentivam o debate sobre a autoria de obras estende-se a muitos outros. Lembra o tanto que já se questionou a existência de Shakespeare? – Foi um impostor, uma fraude, a assinatura encobridora de um personagem mais ilustre? – É um debate que ainda hoje continua dividindo os círculos culturais. Até a Francis Bacon foi atribuída a identidade de Shakespeare. Quanto ao Mestre Aleijadinho... Você cutucou minha curiosidade.
    Um abraço, querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SHAKESPEARE FOI OCULTISTA NA CORTE DA RAINHA ELIZABETH.

      Excluir
  3. "Que coincidência"... Todos estes pesquisadores são brancos e Paulistas, e o Aleijadinho é um mestiço negro!!!

    ResponderExcluir
  4. Não podemos esquecer também, em Ouro Preto, do mito do Chico Rei? Se ele existiu, onde era a casa dele? Todos sabemos onde era a casa do Claudio Manoel da Costa e do tamas Antonio Gonzaga. Se o Chico Rei existiu mesmo, onde era sua casa?

    ResponderExcluir
  5. NÃO DUVIDO QUE SEJA UMA BAITA MENTIRA! HOJE MESMO OUVI UM CD DE UM PADRE QUE FOI MUITO BEM RECEBIDO NA MINHA CIDADE E ENTRE ALGUMAS FANTASIAS DISSE QUE CONSTRUIU A IGREJA CATÓLICA LOCAL.SÓ SE FOI PEDREIRO EM ENCARNAÇÃO BEM ANTERIOR A DE AGORA.A DITA IGREJA FOI CONSTRUIDA NA DÉCADA DE 1860.
    OU SEJA 153 ANOS ATRAS.

    ResponderExcluir
  6. sou mineiro e to cagando e andando nao faz a minima diferença pra mim se alejadinho existiu ou nao .

    ResponderExcluir
  7. KKKKKK cada uma!!! E as obras quem fez? Puta merda a Igreja de São Francisco surgiu do nada????

    ResponderExcluir